Imprimir

Utilização - Plantas ornamentais

Paisagem

As plantas são uma parte fundamental dos nossos ambientes, tanto no campo como na cidade, e mesmo até dentro das nossas casas, nos pátios, escadas e varandas.

Desde o Neolítico, a humanidade procura organizar e controlar a natureza, a disposição e a forma das plantas, através de processos de selecção artificial e de cultivo (agricultura, silvicultura, horticultura, fruticultura e uma mão cheia de outros terminados em 'cultura', termo que exprime genericamente a intervenção humana na natureza). Uma das expressões mais antinómicas de uma pressuposta natureza primitiva ou selvagem é o jardim clássico de estilo francês, de cariz geométrico rectilínio, com podas de árvores e arbustos formativas (a topiária), e a disposição de herbáceas em manchas homogéneas e contrastantes de cores. Actualmente, o gosto clássico está gradualmente a ser subtituído por critérios estéticos baseados numa maior e mais harmoniosa mistura das espécies que rentabilize os recursos hídricos e minerais, proporcione a competiçao e a cooperação das espécies, facilite a prevenção das pragas e doenças, preserve a diversidade e atraia a fauna, evitando a utilização de herbicidas, fertilizantes, pesticidas e a cultura forçada.

No Sítio do Tremontelo houve sempre a preocupação de valorizar o terreno com a utilização ornamental das plantas. Eu sou um jardineiro leigo e, por isso, misturo estilos, gostos e saberes. Mas tenho aprendido esforçadamento com o estudo, a experimentação, os fracassos e o conselho de quem anda nisto há mais tempo. Se a princípio procurei, acima de tudo, introduzir espécies novas e alienígenas, com os braseiros estivais e as geadas fui levado a perceber que as nativas, comprovadamente resistentes, também tinham a sua beleza, a sua função e o seu lugar. Dizer que os jardins e arboretos do Tremontelo são isto ou aquilo não faz sentido porque estão todos os anos a mudar.

Arboretos

O termo arboreto proveniente do neolatim (arboretum,-i; pl.: arboreta), que deriva da palavra latina arbor,-is, 'árvore', representa uma massa arbórea e arbustiva, e restantes comunidades biológicas, cultivada com o propósito de obter uma colecção de espécimes ordenadas e mantidas cientificamente. Tratando-se especificamente de árvores frutíferas, usa-se o termo fruticeto, de pinácias, pineto e daí por diante. O termo arboreto (que tem a mesma origem latina que o termo 'arvoredo') é semanticamente vizinho de floresta, mata, bosque, termos mais usados para áreas naturais com elevada densidade de árvores e arbustos, ou áreas cultivadas com outras finalidades principalmente económicas.

Situando-se o Tremontelo na região mediterrânica da Península Ibérica, predomina aqui, espontaneamente, o sobreiro, o carvalho-cerquinho, a azinheira, o azambujeiro, a murta, o zimbro e o pinheiro em convívio com a roseira-brava, a salsaparrilha e a madressilva e um conjunto de arbustos (medronheiro, abrunheiro-bravo, loureiro, lentisco-bastardo) de que comecei a identificação e preservação.

  • O sobrado, sobral ou sobreiral ou bosque de sobreiro distingue-se do montado de sobreiro pela maior densidade desta espécie.
  • Pineto ou pinhal
  • Fruticeto ou pomar

Podemos demarcar 3 áreas de concentração de árvores e arbustos no Tremontelo: O Sobral, o Dedo (Pinhal) e o Pomar

Sebes

  •  Em desenvolvimento

Jardins

  •  

Pérgolas e treliças

  •  

Canteiros

  •  

Arruamentos e elementos decorativos

  •  

Lagos e fontes

  •  

 

Em casa

   Em desenvolvimento

Plantas de interior

  •  

Arranjos florais

  •  

Vasos

   Em desenvolvimento

 Voltar a Utilização